(VÍDEO) HISTÓRIA DE JB MAUNEY







A história de um campeão que não se deixa vencer por touros indomáveis!

J.B Mauney é sem dúvida um dos melhores atletas de montaria em touros de todos os tempos.
É Bi-Campeão mundial da PBR - Professional Bull Riders e também está na lista de cawboys mais populares do mundo.

 J.B, montou seu primeiro touro quando tinha 13 anos e se tornou profissional aos 18, hoje com 32 anos ele já ganhou mais de 7,2 milhões em prêmios.

Muitas pessoas tem curiosidades em conhecer mais sobre a vida de J.B Mauney, então separamos pra você uma lista com algumas coisas sobre ele, confira:

Ele nasceu no ano de 1987, em janeiro dia 9 para ser preciso.
Sua cidade natal é Mooresville na Carolina do Norte (Estados Unidos), que fica mais ao sul do Condado de Iredell.
Uma cidade grande que combina com o estilo determinado de J.B.

Trajetória
J.B. não faz o tipo “garoto bonzinho” ao contrário, gosta de dizer que não foi um adolescente totalmente dedicado ou literalmente obediente.
Sua jornada como profissional sempre foi emocionante, quando mais jovem ficava com muuuiitaa raiva quando não conseguia quando não conseguia montar bem, chegava a quebrar coisas na parede de tanta raiva.
Iniciou como profissional na PBR - aos 18 em Portland no ano de 2006 e de cara,  neste mesmo ano foi premiado como atleta revelação do ano.
Nos anos seguintes 2007, 2008 alcançou a terceira e segunda posição respectivamente, sendo consagrado em 2009 com o primeiro lugar na etapa final em Las Vegas a World Finals.
Para saber mais sobre a personalidade deste incrível dominador de touros é preciso ver de perto sua performance.
Em especial aquelas que chega nos 8 segundos tão almejados.
J.B. tem ainda atributos que poucos no esporte possuem, como por exemplo, a proeza que alcançou em 2012 na etapa de San Antonio, onde parou em um dos touros mais poderosos na época o touro “Asteroide”.
Sua nota foi esplendida, alcançou 93,50 pontos contracenando como uma nota de 46,25 também alta para seu adversário Asteroide.
Mas em quê J.B se inspira?
Em 2009 J.B. mostrou mais uma vez todo seu talento como atleta incrível no touro Dourango no rodeio de Barretos durante a Copa do Mundo realizada aqui no Brasil.
Vindo do vice-campeonato de 2008 fez bonito para o deleite dos telespectadores que sempre vibram muito quando J.B. se apresenta.
De todo o período da trajetória, 2018 talvez não tenha sido um ano tão bom para o excêntrico e determinado Mauney.
A começar pelas lesões provenientes da montaria que ficará na história sobre o temido Bushwacker, um ícone que tem até página no Facebook.
As cicatrizes de J.B., assim como suas tatuagens dizem algo que está muito além da compreensão humana e até mesmo da sua plateia fiel e vibrante que conquistou ao longo dos anos.
Sobre as tatuagens no dorso frases como “Carpe Diem” (Curta o Momento), “Born to Ride”(Nascido para montar) reservam significados que talvez só ele conheça, mas as cicatrizes, são marcas da ferocidade das arenas.
A pior de todas que aconteceu em 2017, que quase lhe custou o braço.
Aliás, os médicos disseram que o braço de J.B, só estava sendo segurado pela pele quando o atenderam.
Talvez a lentidão nos reflexos do ombro direito machucado e a falta de fluidez na sua mão de montaria, por algum tempo freou (bem pouco) o ímpeto competidor deste cawboy indomável.
Que, sem disfarçar busca inspiração em outra lenda (já não mais presente neste mundo físico) nada menos que Lane Frost.
Sobre ele, J.B. Mauney faz comentários de um aspirante e incessante admirador já desde os 16 anos.
Que analisa vídeos com passeios do falecido considerado um dos maiores montadores do mundo.
Inclusive, há algumas semelhanças entre ambos, a começar pela aparência física.
Tanto J.B. quanto Frost são mais altos, com corpo magro e ainda compartilham de mais uma particularidade: O lado da montaria, sendo o esquerdo para os dois.

Como J.B. se prepara para montar? 

Na verdade, ele não se prepara!
J.B passa o dia trabalhando em seu rancho, montando a cavalo e cuidando de seus touros, segundo ele, isso supera a necessidade de ir a uma academia, por exemplo.
Ele também não faz estratégias para as montarias e uma de suas regras é nunca ver vídeos dos touros que vai montar, sobre isso ele diz:
 "Quando você assiste um vídeo do touro que vai montar sua mente automaticamente traça um plano e isso nem sempre dá certo, quando você não sabe o que vai acontecer você simplesmente reage e faz acontecer."
J.B. tem olhar intimidador para o adversário, não o menospreza, entretanto também não abaixa a guarda.
Quais os planos e J.B. para o futuro?
Mauney é um milionário, aliás o atleta que chegou as maiores cifras no esporte de montaria então, dinheiro pode ser um motivador.
Mas, o que podemos perceber é que por detrás do melhor estilo cawboy, com chapéu preto, calça jeans e os vários logotipos que enfeitam a camisa personalizada de J.B, existe um verdadeiro amante da arte de montar touros.


2019 está só começando, mas J.B. demonstra algumas coisas nitidamente.
A primeira, é sua grande satisfação em poder trabalhar no que gosta e compartilhar bons momentos ao lado da filha, do filho e de sua incentivadora principal, sua esposa.

Apesar das criticas sobre o mal rendimento em 2018  J.B acredita que tem mais alguns anos pela frente como atleta de montaria em touros. Em uma entrevista para um jornal americano ele disse:
“Por que eu deveria dar ouvidos aos críticos que nunca montaram em um touro?”
“Uma vez que a montaria entra em seu sangue, ele estará lá para sempre, não importa o quão ruim você seja, mesmo quando você esta todo machucado e mal consegue sair da cama, você ainda esta pensando nisso!”





Comentários